segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Resenha: Querido John - Nicholas Sparks


Título: Querido John

Editora: Novo Conceito
Edição: 1 (edição de bolso)

Ano: 2012
Páginas: 283

Tradução: Patricia de Cia
Onde comprar

Minha Nota:
BOM













Sinopse: Quando John Tyree conhece Savannah Lynn Curtis, descobre estar pronto para recomeçar sua vida. Com um futuro sem grandes perspectivas, ele, um jovem rebelde, decide alistar-se no exército, após concluir o ensino médio. Durante sua licença, conhece a garota de seus sonhos, Savannah. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah prometa esperá-lo concluir seus deveres militares. Porém ninguém previa o que estava para acontecer, os atentados de 11 de setembro mudariam suas vidas e do mundo todo. E assim como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu país e seu amor por Savannah. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, ele descobre como o amor pode nos transformar de uma forma que jamais poderíamos imaginar.


Estamos no ano de 2000, John Tyree tem 21 anos. Crescera em Wilmington, Carolina do Norte, e após o abandono de sua mãe passou a viver sozinho com o pai. Na infância, a relação entre eles era boa, agradável; porém, com o tempo, os interesses de John foram mudando enquanto os do pai se mantinham os mesmos. Para ele, o comportamento estranho do velho se devia ao fato de não se importar com o filho, seu fascínio por moedas era considerado uma obsessão mas na verdade havia muito mais nessa história, que John só pode descobrir anos depois.


Após passar pelas várias fases da adolescência e 'levar um fora' da antiga namorada, já sem muitas expectativas ou caminhos a trilhar, John decide alistar-se ao exército. Em meio ao treinamento, o cumprimento de ordens e distante de confusões, o jovem problemático aos poucos se transforma. É durante seu período de licença naquele mesmo ano, que conhece Savannah Lynn Curtis, aquela que seria sempre a mulher dos seus sonhos.   

Eles se conheceram de modo inusitado, quando a bolsa da jovem caíra na água de cima do cais e John mergulhara na água para buscar; a partir dali a atração ocorreu de forma mútua e ao mesmo tempo simples, uma vez que se passou dias antes que o primeiro beijo acontecesse. Duas semanas. Esse foi o tempo que tiveram para ficarem juntos e se apaixonarem.

Savannah decide esperá-lo até que seu alistamento termine (ou seja, 1 ano), enquanto isso eles se mantêm conversando por cartas. Muita coisa acontece nesse meio tempo, mas até então tudo bem, pois a certeza de que John voltará para ficar é implacável. O que eles não contavam é que o período que o militante tivesse que concluir seus deveres no exército, chocasse com um dos piores atentados dos EUA, o 11 de Setembro.

O que significa amar verdadeiramente uma pessoa? Essa é a pergunta que John se faz após enfrentar de tudo para ficar com a mulher da sua vida. O que a distância é capaz de fazer com um relacionamento? A paixão, o consolo, o carinho pode permanecer somente com a presença de cartas?. “Querido John”, dizia a carta que partiu um coração e transformou duas vidas para sempre. O que você faria com uma carta que mudasse tudo?

“Embora soubesse que ela me amava e se importava comigo, de repente entendi que, às vezes, nem mesmo o amor e carinho são suficientes. Eles eram tijolos de concreto do nosso relacionamento, mas também eram instáveis sem a argamassa do tempo compartilhado, do tempo sem a ameça da separação iminente que pairava sobre nós”. Pág. 245, Parte II

COMENTÁRIOS

É com essa premissa que embarcamos numa história de amor entre um casal jovem e, acima de tudo, nos dilemas da vida. Perda, condescendência, amizade, família, são todos os pontos que enxergamos ao ler mais uma obra de Nicholas Sparks.

Dentre as adaptações do autor, essa é a minha favorita. Já assisti inúmeras vezes e protelei bastante até começar a leitura. Quem viu minha nota no topo da postagem pode pensar que não cheguei a gostar do livro, esse é um dilema que cabe a mim explicar: gostei sim e ao mesmo tempo não.

A história é riquíssima em detalhes, fala sobre doença - afinal essa é uma das questões presentes na vida do pai de John - confiança, superação de erros, compaixão e ao mesmo tempo tristeza. Embora o final tenha sido digno, acabou comigo, trouxe aquela sensação de que a vida pode ser traiçoeira e de que "bonzinho só se dar mal".

O John cresceu muito na história, inclusive Savannah, porém nos momentos finais, senti que ela retrocedeu um pouco e deixou a desejar quanto as suas escolhas e insegurança. Obviamente, vale destacar, o livro é narrado pelo próprio John, o que pode influenciar e muito a percepção do leitor.

Devido ao fim não consegui dar mais estrelas para o livro, mas isso não o desqualifica nem um pouco. Quem costuma classificar suas leituras, deve entender o que estou falando. Tem vezes que damos 5 estrelas a um livro que não é um favorito e outras que damos 3 estrelas a um que se tornou um dos nossos preferidos (já aconteceu comigo!). Então, fica a dica para você que curte o Sparks, gosta de histórias de romance, mas que também esteja preparado para reviravoltas e fortes emoções.


FILME

Dirigido por Lasse Hallström (Sempre ao seu lado) e estrelado por Channing Tatum e Amanda Seyfried o filme estreou em 5 de fevereiro de 2010, retirando Avatar da liderança das bilheterias americanas, posto que ocupava já há sete semanas.


Nota: Encare sempre as obras originais e adaptações de forma separada, ambas devem ser apreciadas e vistas com seu devido valor. O que não te impede de gostar mais de uma do que a outra.

Deixe seu comentário dizendo o que achou do livro/filme e o que mais te marcou na história.

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Sou dos que tem mimimi com Nicholas Sparks, mas essa obra chama minha atenção por ser quase um "sick-lit", gênero que tenho apreciado ultimamente. Não lembrava do filme e essa capa é linda HAHAHA.


    OFF: Toda vez que pego um post daqui e coloco no Storify não aparece NADA, só o "blogspot" com link pro blog nem é pro post, já viu isso? Deveria aparecer o post, thumbnail e PRINCIPALMENTE o link masss... Só te avisando, ve se consegue resolver aí.


    Abs :D

    ResponderExcluir
  2. Não sei o motivo mas as obras desse autor tem um poder terapêutico em mim, mesmo que não tragam nada de excepcional me sinto bem quando termino. Sim, também adoro esse gênero Sick-Lit, tanto é que vamos fazer um encontro de leitores em minha cidade só sobre isso agora em Outubro (tem várias resenhas aqui no blog também). :D

    PS - Notei sim esse pequeno problema quando você divulga, mas não sabia que era algo do blog. 'o' Vou procurar resolver o problema, valeu pela dica!

    ResponderExcluir
  3. A história é mesmo linda Denise. Foi o primeiro que me instigou a conhecer o autor e estava ansiosíssimo pela leitura; não foi o meu favorito dele, porém mesmo assim não deixa de ser emocionante. ;) Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Meu Feed estava programado como 'sinopse', mudei para completo. Pode ser que tenha sido isso. Agora vamos ver se funciona, depois que o Google atualizar.

    ResponderExcluir
  5. Esse foi o primeiro livro do Nicholas que eu li e fui logo arrebatada pela sua escrita e dramaticidade. O livro é encantador e funcionou para mim. Gostei dos personagens e principalmente da relação do John com seu pai, é linda e me fez chorar muito.



    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...