quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Resenha: O Oceano no Fim do Caminho - Neil Gaiman

Título original: The Ocean at the End of the Lane

Autor: Neil Gaiman 

Editora: Intrínseca 
Edição: 1

Ano: 2013
Páginas: 208

Publicação Original: 2013

Tradução: Renata Pettengill
Adicione no Skoob



Sinopse: Sussex, Inglaterra. Um homem de meia-idade volta à casa onde passou a infância para um funeral. A construção não é mais a mesma, e ele é atraído para a fazenda no fim da estrada, onde, aos sete anos, conheceu uma garota extraordinária, Lettie Hempstock. Ao se sentar à beira do lago (o mesmo a que ela se referia como um oceano), o passado esquecido volta de repente. Um passado estranho demais, assustador demais, perigoso demais para ter acontecido de verdade, especialmente com um menino.


ENREDO

Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos.

Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.

Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. 

A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano e conheceu Lettie - com sua magia, amizade e a sabedoria digna de alguém com muito mais de onze anos - que prometera protegê-lo, não importando o que acontecesse.

COMENTÁRIOS

Esse é um daqueles livros que todo mundo gostou, menos eu. Não é um livro de todo ruim, mas também não chega a ser excepcional. 

O personagem principal, que não conhecemos por nome, revive suas lembranças quando criança. Supomos então, que a história tem um tom autobiográfico. Para mim o livro seguiria esse ritmo, mais denso, com memórias de infância, e não foi com pouca surpresa que encarei a fantasia que surge ao longo das páginas.

É inevitável se afeiçoar a um menino de sete anos e seu amor pelos livros, que usa como uma fuga da realidade, deixando sua imaginação cada dia mais fértil. Porém, no contexto da história não encarei como ‘coisa-de-criança’ o que acontece na estrada que dava na fazenda, que dava para a floresta. Para mim, Neil Gaiman conta uma fábula para dizer algo maior. Uma fantasia que para a criança parece real, pois elas viveram aquilo, contudo, que a idade adulta, faz com que nossa memória desvaneça. 

O problema disso tudo está na falta de explicação para quem é quem ou o quê é o quê na história. Tudo fica muito aberto e a cargo do leitor interpretar. Até certo ponto isso é bom, mas para mim a tentativa não surtou o efeito desejado, fazendo o contrário, deixando-me um tanto frustrado.

Há um pouco de mitologia, um pouco do sentido da vida, do real valor das coisas, da perda da inocência, do esquecimento que a maturidade traz e ao mesmo tempo os resquícios do subconsciente. Tudo dependerá da forma que você enxergará as coisas e, por que não dizer, do momento que você esteja passando. Uma leitura rápida que prende pela escrita.

Senti algumas semelhanças com Coraline (Neil Gaiman), porém isso se perde ao longo do caminho. Pode ter sido uma semelhança não da história em si, mas do estilo do autor, sua fórmula de mistério, gato negro, criança, pais e sobrenatural.

Então é isso. Alguém se arrisca a dizer o que seria O oceano no fim do caminho? Abstenho-me de falar minha opinião para não estragar a surpresa de quem lê, até porque, cada um terá uma opinião diferenciada. Posso dar uma única dica: vida.

ME FEZ LEMBRAR...

Coraline, do mesmo autor, O menino do pijama listrado (John Boyne) e A menina que não sabia ler (John Harding).

QUOTES / CITAÇÃO

“Livros eram mais confiáveis que pessoas, de qualquer forma.” Pág. 18

“Uma pequena região da minha mente se lembrou de uma sequência alternativa de eventos, e então a perdeu, como se eu tivesse acordado de um sono reconfortante e olhado em volta, depois puxado a manta para me cobrir e retornado para o meu sonho.” Pág. 190

Melhor destaque do livro: Capítulo V! 

***

Deixe nos comentários sua opinião sobre o livro e releve/compreenda a minha, caso tenha gostado muito dessa história.

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Parabéns pelo aniversário. Desejo muito sucesso sempre.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo niver do blog :D

    Participando

    Seguidor GFC: Luciane Eleoteria

    Nome Rafflecopter: Luciane Rodrigues

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo aniversário de 3 anos do blog, sucesso sempre!!!
    Participando!!! milena.soares@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo aniversário do blog,muito sucesso!!!

    ResponderExcluir
  5. Parábens e participando!

    ResponderExcluir
  6. ESTOU CONCORRENDO!!

    ResponderExcluir
  7. Parabéns!!! Sucesso sempre! ;)
    maiiira04@gmail.com

    ResponderExcluir
  8. FELIZ PELO PREMIO!!MAIS UMA VEZ MEUS PARABÉNS!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...