quarta-feira, 5 de junho de 2013

Férias! de Marian Keyes (Resenha)


Título: Férias! 
Autor: Marian Keyes 

Editora: BestBolso
Edição: 3

Ano: 2010
Páginas: 545

Tradução: Heloísa Maria Leal

Sinopse: Rachel Walsh, é irmã de Claire (personagem principal de Melancia) e, após perder o emprego em Nova York, ser deixada pelo namorado Luke Costello e quase morrer de overdose, é obrigada pelo pai a se internar em uma clínica para dependentes químicos na Irlanda. Pensando que iria para um spa curtir férias, Rachel se revolta quando descobre que está; internada em um centro de reabilitação, e se recusa a admitir que tem sérios problemas, afinal, “não era magra o bastante para ser uma toxicômana”. Ela precisará; atravessar uma intensa jornada até reconhecer seus erros e reconquistar as pessoas que mais ama.

“Keyes no seu melhor e mais divertido romance.” Newsday

“Hilariante. A descoberta do amor-próprio e do amadurecimento pela ótica de uma heroína inesquecível.” Boston Globe

DO QUE FALA O LIVRO?

O livro conta a história de Rachel, uma mulher com 27 anos, porém ainda imatura que tem uma vida aparentemente perfeita. Vinda da Irlanda, consegue se estabelecer na cidade de Nova York, tendo um emprego estável, seu próprio local pra viver e ainda por cima Luke - o namorado que qualquer mulher gostaria de ter. Bom, acho que demorou um tempo até que ela se desse conta disso.

A história começa com a overdose de Rachel e sua parada no hospital, é assim que descobrimos que na verdade ela é uma toxicômana (uso habitual de entorpecentes). Ao acordar, todavia, ela não faz ideia de como fora parar naquele lugar. Pelo que lhe disseram, estava prestes a cometer suicídio e até deixara uma carta de despedida, mas tudo não passou de um terrível engano.

Quão divertido é você imaginar que estará indo a um spa para relaxar, repleto de regalias, na presença de celebridades como amigos, quando na verdade está indo para o meio-do-nada, numa espécie de acampamento militar dedicado a reabilitação psiquiátrica.

No Claustro ela se frustra, pois aceitara ir para o local pensando que teria vida de princesa e não as terapias obrigatórias - daí o título do livro - faz inimizades mas também muitos amigos. É lá também que ela se encanta por Chris, um homem gentil, lindo e sedutor que na verdade esconde um grande segredo.

Eu estava agindo da mesma maneira cautelosa e excessivamente cortês empregada pelos homens que não estavam interessados em mim. Uma profusão de "Ah, é?" e "Mesmo?". Era fascinante ver a coisa do ângulo oposto. Pg. 124

Regredindo um pouco no tempo... Luke é um personagem que nos surpreende. Logo no início ele rompe com ela sem muitas explicações, mas com o passar das páginas descobrimos como ele e Rachel se conheceram e vamos torcendo pelo casal mesmo sabendo que eles não estão mais juntos. Ao abandona-la antes de sua ida para a reabilitação ele nos deixa com um sentimento de frustração e incredulidade que só é esclarecido no fim do livro.

Não seria ótimo, pensei, a mente divagando, se acontecesse alguma coisa entre mim e Christy? Se nos apaixonássemos. E ele me acompanhasse em minha volta a Nova York e encontrássemos Luke. E Luke ficasse arrasado e descobrisse que no fundo me amava e me implorasse para deixar Christy. E eu dissesse alguma coisa horrível para Luke, do tipo "Sinto muito, Luke, mas descobri o quanto você é superficial. O que existe entre mim e Christy é profundo..." Pg. 96

Um personagem coadjuvante que nos chama atenção é Hellen, irmã de Rachel. A mais jovem da casa que não mede esforços para conseguir o que quer, sempre segura de si, e de tão fútil chega a ser irritante. Não sei se algum dos livros da Família Walsh é voltado a ela, mas seria interessante conhecê-la mais a fundo em outro enredo. (Divulgada capa e informações de "Chá de sumiço", novo livro de Marian Keyes!)

SOBRE A DIAGRAMAÇÃO

A narração é feita em primeira pessoa sob o ponto de Rachel e varia entre passado e presente. Ao passo que conhecemos os problemas dessa mulher, vamos compreendendo o que há por trás de todos os acontecimentos que levaram-na até ali.

Os capítulos possuem pausas e são relativamente curtos o que facilita e acelera a leitura. A escrita de Marian é fascinante; são tantas tiradas e analogias 'sacanas' do nosso cotidiano que é impossível não dar muitas gargalhadas enquanto se lê.

O QUE EU ACHEI...

Me senti em uma contradição de sentimentos em alguns momentos da leitura, pois a realidade (ou a falta dela) e frieza trazida por Rachel me chocou um pouco, pelo fato de ela está seriamente doente e mesmo assim não se dar conta disso. Em contrapartida, ver sua vulnerabilidade, doçura e amor por trás da aparência de descrença nos alivia e diverte muito. 

O 'Time' do livro é genial, se passa mais de um ano durante a história e mesmo assim não se perde o ritmo. A autora soube mostrar os avanços de Rachel com começo, meio e fim. É notável a transformação do personagem, quase irreconhecível.

O interessante no enredo é que vamos mudando de opinião à medida que nos é revelada a história de Rachel. Como lemos apenas seu ponto de vista, muitas vezes ficamos sem saber de algo por conta da omissão dela. (Espertinha)

Sendo assim, é um livro mais indicado para aqueles com uma idade acima dos 16 anosUm Chick-Lit (voltado a mulheres) que não impede nenhum homem de ler. Depois disso, considere chamá-lo de Guilty Pleasure (prazer vergonhoso).

MUITO BOM


FIQUE ATENTO! 


A coleção de livros da família Walsh é composta alguns desses volumes, mas não criemos pânico! As histórias são independentes uma das outras e seguem o mesmo padrão de qualidade. O mais conhecido entre eles é Melancia, em breve resenhado aqui no blog.

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Lucas Souza/Descobrindo Livros6 de junho de 2013 21:44

    Oi, Clóvis! Tudo certo? :)
    Eu nunca tinha lido uma resenha, nem sequer sabia o tema de Férias, só o título, e já vi gente falando que esse é o melhor da série e sua resenha me deixou muito interessado mesmo. O tema parece ser meio pesado, mas eu adoro. Já tenho alguns da Famila Walsh, mas esse não :/ Pena, não quero a versão pocket, então vou esperar! Parabéns pela resenha tão bem escrita, e eu adoro meninos lendo chick-lit, tira aquele estigma que é só pra mulher rs
    Já leu Esposa 22? Ele é bem legal também!
    Abraços
    www.descobrindolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Pois é Lucas, o título não nos diz nada sobre a história; passa até uma leveza maior do que a verdade, no mais o livro trás mais diversão mesmo. Também não gosto das versões de bolso, mas foi o jeito para o conhecer a autora, rsrs. Obrigado pelo elogio, depois que eu li "O Diabo Veste Prada" adorei o gênero Chick-Lit. Agora não para mais. haha. Ainda não li "Esposa 22" mas vou dar um olhada. Valeu pela dica, Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Adriana Macedo da Silva9 de junho de 2013 16:31

    Oi Clovis

    A Ellen realmente precisava de um livro só para ela, assim poderíamos saber o que se passa por aquela cabecinha de vento irritante, Ferias é o meu livro favorito de Marian Keyes,e o Luke é um amor.Já tenho quase todos os livros da autora. Mas se você gostou deste vai adorar O segredo de Emma Corrigan, que é muito bom , hilário.

    Bjs
    Adriana
    http://meupassatempoblablabla.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Anotei sua dica Adriana! Só li apenas esse livro da autora, mas já fico tentado a ter a coleção completa. Beijos.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...