quarta-feira, 19 de junho de 2013

Os 13 Porquês - Jay Asher (Resenha com Vídeo)


Título: Os 13 Porquês
Autor: Jay Asher

Editora: Ática
Edição: 1

Ano: 2011
Páginas: 256

Tradução: José Augusto Lemos

Minha Nota:
MUITO BOM

Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra um misterioso pacote com várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que foram feitas por uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, ela explica que 13 motivos a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.


Clay Jensen é um jovem que sempre foi bem aceito pelos amigos. Chamado de um cara "gente fina" nunca se meteu em nenhum problema ou cometera deslizes com ninguém. É com grande surpresa que recebe uma caixa de sapatos com 7 fitas cassetes explicando o motivo da morte de sua querida amiga Hannah Baker.

“Quando alguém tem uma imagem excepcional, as outras pessoas só estão à espreita para acabar com ela. Estão só esperando aquele defeito faltar aparecer.” Pág. 170

As fitas são endereçadas a 13 pessoas que de uma forma ou de outra colaboraram para que a garota cometesse suicídio. Clay não entende porquê seu nome fora parar ali. Embora sempre tenha sido apaixonado secretamente por Hannah, nunca chegou a fazer-lhe mal;  a simples menção da ideia o assombrava.

O que diz as fitas? Quem sais as pessoas que estão nelas? O que isso pode ter haver com a morte de uma jovem na flor da idade? E o que o nosso narrador fez de tão grave assim?

||

O livro é bem singular devido a narração da sua história. A medida que "escutamos" as gravações de Hannah junto com Clay, ele expõe seus pensamentos e explica o que acontecia naquele momento em seu ponto de vista.

A história acontece num período bem curto de tempo (em menos de 24 horas ele consegue ouvir todos os tapes), porém como se remete ao passado da garota, torna-se quase imperceptível

A diagramação da Editora é bem interessante. Costumo ver uma linha de livros mais didática em seu catálogo, mas me agradou bastante. Cada fita tem dois lados (caso você não tenha chegado aos 18 anos não deve ter aproveitado essa tecnologia) e capa capítulo segue da mesma forma, descrevendo uma pessoa (um Porquê) por vez.


Esperava mais desse livro; começou num clima "Pretty Little Liars" com aquela adolescente sarcástica que morreu e voltou para atazanar seus antigos inimigos, contudo não foi isso o que encontrei.


Trata-se de uma leitura rápida (embora o intercalamento de narração tenha me causado estranheza) e logo numa noite consegui chegar à metade do livro. Com o passar das páginas vamos conhecendo Hannah, seu lado doce e autoflagelador, e descobrimos que o motivo de sua morte não foi único e sim um efeito dominó em que uma pessoa faz um ato impensado e assim segue as demais. 


Simplesmente o pior do que você possa imaginar aconteceu com essa garota. Acho humanamente impossível alguém ser tão azarado assim, por isso, os acontecimentos me pareceram um tanto forçados pelo autor.


“Acho que essa é a questão central. Ninguém sabe ao certo quanto impacto tem na vida dos outros. Muitas vezes não temos noção. Mas forçamos a barra do mesmo jeito.” Pág. 135

||

Ao fim do livro vem uma entrevista com Jay Asher onde ele explica os motivos que o levaram a escrever o livro e de onde tirou inspiração. Não fosse por esse motivo, a obra teria levado 3 estrelas (na minha opinião), mas entendi que foi essa a intenção do autor: explicar tudo aquilo que deixou nas entrelinhas.

Estamos falando do gênero Sick-Lit (literatura que fala sobre doenças, definindo a grosso modo) que costuma ser mais denso e abordar temas "fortes". O autor conseguiu manter isso em plano de fundo, deixando a história correr naturalmente o que soma ponto a favor. 

A última página é composta por uma série de endereços e telefones de alcance nacional para suporte de transtornos psicológicos ou psiquiátricos daqueles que já tenham pensado em suicídio ou passem por depressão. Legal né?

Moral da história: Nunca podemos determinar ou prever o quanto afetamos a vida de uma pessoa. Cabe a cada um de nós ter o devido cuidado com isso.


“É isso que eu amo na poesia. Quanto mais abstrata, melhor. Do tipo que você não tem certeza sobre o que o poeta está falando. Você pode ter uma ideia, mas não tem certeza. Não cem por cento. Cada palavra, escolhida especificamente, pode ter um milhão de significados diferentes. Seria uma representação – um símbolo – de outra ideia? Faria parte de uma metáfora maior, mais oculta?” Pág.151




Deixe um comentário dizendo o que achou.


Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Nathália Novikovas19 de junho de 2013 13:51

    oioioi Clóvis,

    gostei bastante da sua resenha, e foi a primeira que li sobre o livro '-' UIHAUIEHAUIE
    eu sempre leio o pessoal comentando super bem o livro e talz, mas nunca cheguei a ler uma resenha, e por enquanto Os 13 Porquês só está na minha de "vou ler" e não de "desejados".
    e como você disse, é o um Sick-Lit... e da minha último experiência lendo um livro desse gênero... acho que vou ficar um bom tempo sem ler sick-lit - vulgo As Vantagens de ser Invisível.

    beijoss

    www.livroterapias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Nathália, tudo bem! É um livro bom que te fisga mais por curiosidade do que por outra coisa, não se preocupa com os dramas e as tristezas do Sick-Lit não tá!? Como eu disse na resenha, o autor deixou isso bem leve. Leia mesmo e obrigado por comentar. PS: Gostei bastante de As Vantagens de ser invisível, fiquei extasiado rsrs, pode ler a resenha por aqui também. Bjs ;)

    ResponderExcluir
  3. Resenha perfeita eu amei . ja estava curiosa pra saber qual a historia do livro e essa resenha está simplesmente perfeita ;))

    ResponderExcluir
  4. Os melhores livros são: Perigosas>Ali's Pretty Little liars> Crushed> Twisted> Burned>Destruidoras>Impiedosas...Recomendo todos. Mas esses são os melhores.

    ResponderExcluir
  5. Obrigo Beatriz.Volte sempre por aqui! ;)

    ResponderExcluir
  6. Oi Anderson. De qualquer forma temos que ler na sequência para não perder nada verdade? Assim que ler todos eles vou comparar com o que você me disse. Abraço! :)

    ResponderExcluir
  7. Eu sabia muito pouco desse livro quando o peguei para ler... e ele me arrasou. Achei a história bem intensa e muito linda! Gostei demais do livro.



    Beijos,
    Nanie

    ResponderExcluir
  8. Então Nanie, eu gostei ao mesmo tempo que demorei em entender o que o autor quis passar achei a história bem mórbida e triste, principalmente por já sabermos o desfecho de Hana e não podermos fazer nada por ela =/ Beijos.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...